BIOGRAFIA SUCINTA DE OLGA BENARIO

EnglishfrançaisDeutschItaliano

Munique e Berlin

Olga Benario nasceu no dia 12 de fevereiro de 1908 em Munique no seio de uma família judia. Seu pai era advogado e membro do partido SPD (Partido Social Democrata da Alemanha). Já Olga Benario era considerada uma “agitadora comunista” como consta nos registros da polícia de Munique. Ela mudou-se para Berlin-Neukölln aos 17 anos onde foi membra atuante na Liga da Juventude Comunista (KJVD).

Ilegal em Moscou e Europa

Após participar na organização de um plano espetacular de fuga para o camarada e também seu namorado, Otto Braun, que estava em prisão preventiva em Moabit, Olga Benario fugiu para Moscou, e em seguida, foi delegada a participar do 5o. Congresso Mundial da Juventude Internacional Comunista. Na França e Grã-Bretanha ela trabalhou para o movimento revolucionário dos operários. Porém foi na União Soviética que ela recebeu treinamento militar.

Brasil

Em 1935 Olga Benario, por ordem do Comintern (Internacional Comunista) em Moscou, acompanhou o brasileiro revolucionário Luís Carlos Prestes em viagem para o Rio de Janeiro, com o objetivo de organizar a insurreição de 1935, que veio a falhar. Tanto Olga quanto Luís Carlos Prestes acabaram sendo presos em 1936.

Extradição para a Alemanha-Nazista

Apesar dos protestos internacionais contra a deportação de Olga Benario, que já estava com gravidez avançada em Setembro de 1936, as autoridades brasileiras aprovaram assim mesmo a sua extradição junto a Gestapo.

Campo de Concentração e Assassinato

No início do ano de 1938 Olga Benario foi separada de sua filha, Anita Leocádia Prestes, e levada inicialmente para o campo de concentração de mulheres de Lichtenburg. Depois, foi obrigada a passar mais 3 anos no campo de concentração de Ravensbrück antes de ser enviada para o “Hospital Psiquiátrico” de Bernburg, onde Olga foi assassinada com monóxido de carbono.

Enquanto o pai de Olga já havia falecido em Janeiro de 1933, tanto a sua mãe Eugenie como o seu irmão Otto não conseguiram escapar dos campos de concentração. Ela morreu em Theresienstadt, e ele em Auschwitz. Felizmente, a filha de Olga foi criada pela sua avó paterna, Leocádia Prestes, no México. Foi somente em 1945 no Brasil que ela veio a conhecer o seu pai.

Seite empfehlen